Скачать презентацию Princípios de Hermenêutica Aulas 3 e 4 Скачать презентацию Princípios de Hermenêutica Aulas 3 e 4

fdb66752de4d01bb6f35dd392cda3e1d.ppt

  • Количество слайдов: 27

Princípios de Hermenêutica Aulas 3 e 4 Princípios de Hermenêutica Aulas 3 e 4

Introdução Introdução

Hermes (grego) Mercurio (romano) Ninguém pode pensar sem as palavras Schleiermacher 3 Prof. Sidney Hermes (grego) Mercurio (romano) Ninguém pode pensar sem as palavras Schleiermacher 3 Prof. Sidney Matos

O Papel de Hermenêutica Regras para trazer de lá o que pode ser aplicado O Papel de Hermenêutica Regras para trazer de lá o que pode ser aplicado hoje. Regras para ir até o outro ambiente (cultural, temporal etc) e entendêlo, interpretá-lo Mundo antigo e/ou outra cultura §Mantém a doutrina atualizada; §Compreensão do porquê de outras interpretações; Mundo atual §É uma área interdisciplinar. 4 Prof. Sidney Matos

Lição 3 Particularidades do Texto Bíblico 5 Prof. Sidney Matos Lição 3 Particularidades do Texto Bíblico 5 Prof. Sidney Matos

Cultura Revelação de Deus Pensamentos teológicos do autor ou da época Palavra de Deus Cultura Revelação de Deus Pensamentos teológicos do autor ou da época Palavra de Deus usou os recursos naturais próprios de cada autor Deus usou a linguagem, o vocabulário e o gênero literário próprios à época de cada autor

Recursos literários Comparação - associação de duas ou mais idéias iguais Sl 133. 1 Recursos literários Comparação - associação de duas ou mais idéias iguais Sl 133. 1 -3 Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! 1 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. 2 Como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o SENHOR ordena a bênção e a vida para sempre. 3 7 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Repetição – para dar ênfase Is 6. 3 E clamavam uns para Recursos literários Repetição – para dar ênfase Is 6. 3 E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. Jr 7. 4 Não vos fieis em palavras falsas, dizendo: Templo do SENHOR, templo do SENHOR é este. Ap 8. 13 Então, vi e ouvi uma águia que, voando pelo meio do céu, dizia em grande voz: Ai! Ai dos que moram na terra, por causa das restantes vozes da trombeta dos três anjos que ainda têm de tocar! 8 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Clímax – é o ponto crítico de uma narrativa Ec 12. 13 Recursos literários Clímax – é o ponto crítico de uma narrativa Ec 12. 13 -14 De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem. Porque Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más. Gn 22. 15 -18 Então, do céu bradou pela segunda vez o Anjo do Senhor a Abraão e disse: Jurei, por mim mesmo, diz o Senhor, porquanto fizeste isso e não me negaste o teu único filho, que deveras te abençoarei e certamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus e como a areia na praia do mar; a tua descendência possuirá a cidade dos seus inimigos, nela serão benditas todas as nações da terra, porquanto obedeceste à minha voz. 9 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Particularização – vai do geral para o particular – método dedutivo Rm Recursos literários Particularização – vai do geral para o particular – método dedutivo Rm 5. 17 Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo. 10 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Generalização – vai do particular para o geral – método indutivo Rm Recursos literários Generalização – vai do particular para o geral – método indutivo Rm 5. 12 Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram. 11 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Preparação – material indrodutório Lc 1. 1 -4 Tendo, pois, muitos empreendido Recursos literários Preparação – material indrodutório Lc 1. 1 -4 Tendo, pois, muitos empreendido pôr em ordem a narração dos fatos que entre nós se cumpriram, 2 segundo nos transmitiram os mesmos que os presenciaram desde o princípio e foram ministros da palavra, 3 pareceu-me também a mim conveniente descrevê-los a ti, ó excelentíssimo Teófilo, por sua ordem, havendo-me já informado minuciosamente de tudo desde o princípio, 4 para que conheças c a certeza das coisas de que já estás informado. 12 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Harmonia – envolve unidade, coerência Hc 2. 4 Eis que a sua Recursos literários Harmonia – envolve unidade, coerência Hc 2. 4 Eis que a sua alma se incha, não é reta nele; mas o justo, pela sua fé, viverá. Gl 3. 11 E é evidente que, pela lei, ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé. 13 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Principalidade – envolve uma idéia principal apoiada pelas secundárias O Cristocentrismo bíblico Recursos literários Principalidade – envolve uma idéia principal apoiada pelas secundárias O Cristocentrismo bíblico Lc 24. 27 E, começando por Moisés e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras Principal regra hermenêutica adotada por Lutero 14 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Metáfora – comparação implícita Zc 3. 8 Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, Recursos literários Metáfora – comparação implícita Zc 3. 8 Ouve, pois, Josué, sumo sacerdote, tu e os teus companheiros que se assentam diante de ti, porque são homens portentosos; eis que eu farei vir o meu servo, o Renovo. Is 53. 2 Porque foi subindo como renovo perante ele e como raiz de uma terra seca; não tinha parecer nem formosura; e, olhando nós para ele, nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos. Mt 26. 26 Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. 15 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Antropomorfismo – aplicação da linguagem humana a Deus. Gn 6. 6 Metonímia Recursos literários Antropomorfismo – aplicação da linguagem humana a Deus. Gn 6. 6 Metonímia então, se arrependeu o Senhor de ter feito o homem na terra, e isso lhe pesou no coração. I Sm 15. 29 Também a Glória de Israel não mente, nem se arrepende, porquanto não é homem, para que se arrependa. 16 Prof. Sidney Matos

Recursos literários Hipérbole – é o exagero Jo 21. 25 Há, porém, ainda muitas Recursos literários Hipérbole – é o exagero Jo 21. 25 Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez Se todas elas fossem relatadas uma por uma, creio eu que nem no mundo inteiro caberiam os livros que seriam escritos. 17 Prof. Sidney Matos

Lição 4 Particularidades do Texto Bíblico continuação 18 Prof. Sidney Matos Lição 4 Particularidades do Texto Bíblico continuação 18 Prof. Sidney Matos

Parábolas Uma ocorrência colocada em paralelo na qual se extrai uma lição moral ou Parábolas Uma ocorrência colocada em paralelo na qual se extrai uma lição moral ou religiosa. Finalidades ◦ Aplicar mensagens de forma indireta – Mc 12. 12; ◦ Trazer lições novas – Mt 13, 34, 51; ◦ Encobrir a verdade daqueles que não receptivos- Mt 13. 10 -15; 19 Prof. Sidney Matos

Parábolas Devemos evitar interpretação alegórica das parábolas mas usar somente as principais partes e Parábolas Devemos evitar interpretação alegórica das parábolas mas usar somente as principais partes e não dizer além do que ela diz. Forma correta Forma Alegórica – Um significado diferente para cada parte da parábola

Tipos o Tip § Sabedoria § Riqueza § Reino A tipologia é a associação Tipos o Tip § Sabedoria § Riqueza § Reino A tipologia é a associação de eventos, § Poder situações ou pessoas que prefiguram realidades no Novo Testamento que apresentam características semelhantes (chamadas de antítipos). Ti po Salomão po títi An § § Intercessão Santidade Unção Sacrifícios Hb cap 5 Ti po Arão § § Melquisedeque Sem início Sem fim Rei de Jerusalém Rei - sacerdote Hb cap 7 Jesus

Símbolos O símbolo é uma espécie de metáfora na qual uma coisa indica uma Símbolos O símbolo é uma espécie de metáfora na qual uma coisa indica uma outra por uma espécie de semelhança ou representação Um símbolo e a realidade representada podem coexistir, diferentemente do que ocorre no Tipo Símbolos do Espírito Santo

Paralelismo na poesia hebraica - sinonímico Texto corrente Grandemente se regozijará o pai do Paralelismo na poesia hebraica - sinonímico Texto corrente Grandemente se regozijará o pai do justo e o que gerar um sábio se alegrará nele Pv 23. 24 Texto ajustado Definição: paralelismo é a relação entre cada Grandementeou mais versospai do justo sem qualquer dois se regozijará o da poesia, e o que gerar um sábio se alegrarásons (na poesia vínculo com rima, palavras e nele hebraica não existe rima) Texto corrente Alegrem-se teu pai e tua mãe e regozije-se a que te gerou Pv 23. 25 Texto ajustado Paralelismo sinonímico : o 2º verso traz a mesma Alegrem-se teu pai e tua mãe do anterior “ideia” e regozije-se a que te gerou

Paralelismo na poesia hebraica - antitético Texto corrente Não havendo sábia direção o povo Paralelismo na poesia hebraica - antitético Texto corrente Não havendo sábia direção o povo cai mas na multidão de conselhos há segurança Pv 11. 14 Texto ajustado Não havendo sábia direção o povo cai mas na multidão de conselhos há segurança Texto corrente O justo olha pela vida de seus: animais mas traz a “ideia” dos Paralelismo antitético o 2º verso as misericórdias ímpios são cruéis Pvoposta a do anterior 12. 10 Texto ajustado Os justos olha pela vida de seus animais mas as misericórdias dos ímpios são cruéis 3/15/2018 Prof. Sidney Matos 24

Paralelismo na poesia hebraica - sintético Texto corrente Oh quanto amo a Tua Lei! Paralelismo na poesia hebraica - sintético Texto corrente Oh quanto amo a Tua Lei! é a minha meditação em todo o dia Sl 119. 97 Texto ajustado Oh quanto amo a Tua Lei! é a minha meditação todo o dia. Texto. Paralelismo sintético : o 2º verso traz a “idéia” corrente explicada ou ampliada Tenho mais entendimento que todos os meus mestres porque medito nos teus testemunhos Sl 119. 99 Texto ajustado Tenho mais entendimento que todos os meus mestres porque medito nos teus testemunhos 3/15/2018 Prof. Sidney Matos 25

Profecias É a inspirada declaração da vontade e propósitos divinos (Obs. Profecia não é Profecias É a inspirada declaração da vontade e propósitos divinos (Obs. Profecia não é só falar sobre o futuro) O último capítulo da Bíblia mostra Jesus como a origem de toda a profecia Bíblica – Ap 22. 16; I Pe 1. 11

FIM 3/15/2018 Prof. Sidney Matos 27 FIM 3/15/2018 Prof. Sidney Matos 27