Скачать презентацию Conformidade Concessões e Crise na Adoração A Скачать презентацию Conformidade Concessões e Crise na Adoração A

b45e11a0ceafffe7c6505cf41847cd57.ppt

  • Количество слайдов: 21

Conformidade, Concessões e Crise na Adoração Conformidade, Concessões e Crise na Adoração

A conciliação entre as nossas próprias inclinações e as claras orientações de Deus pode A conciliação entre as nossas próprias inclinações e as claras orientações de Deus pode levar à falsa adoração, mas a mensagem de Elias nos chama ao arrependimento, obediência e adoração ao único Deus Verdadeiro.

“Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm “Mas o alimento sólido é para os adultos, para aqueles que, pela prática, têm as suas faculdades exercitadas para discernir não somente o bem, mas também o mal” Hb. 5: 14

q Saber: A verdadeira adoração pode ser prejudicada, de maneira muito sutil, quando seguimos q Saber: A verdadeira adoração pode ser prejudicada, de maneira muito sutil, quando seguimos o que é certo aos nossos próprios olhos. É muito importante nos submetermos à cuidadosa e segura direção de Deus. q Sentir: Perceber a depravação da adoração que se baseia nas q emoções, não no “Assim diz o SENHOR”. Fazer: Responder à mensagem de Elias chamando ao arrependimento, obediência e adoração verdadeira.

O estudo da lição pode ser esquematizado em três partes: I. As condições de O estudo da lição pode ser esquematizado em três partes: I. As condições de Deus; II. Saber e fazer; III. Adoração na vida.

I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 As promessas condicionais de Deus I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 As promessas condicionais de Deus é longa, e Ele esclarece Seus requisitos.

I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 a. Vs. 4 – Shemá I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 a. Vs. 4 – Shemá (“Ouve”). Confissão de fé tradicional de Israel. (Judeus piedosos a recitam duas vezes ao dia); b. É o Único SENHOR. É Javé é Único ou Uno. Dedicação e amor exclusivos de Seu povo. (Mt 12. 29)

I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 c. Vs. 5 – “Amarás. I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 c. Vs. 5 – “Amarás. . . ” é muito mais do que um sentimento ou emoção. É uma manifestação de amor a Deus pela obediência aos Seus mandamentos. É uma resposta: Ele me amou primeiro.

I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 d. Umbrais: Hebraico: mezuzot, plural I. As condições de Deus: Dt 6. 4 -9 d. Umbrais: Hebraico: mezuzot, plural de mezuzah. Baseia o costume dos judeus fixar na porta da casa uma caixinha chamada mezuzah, que contém o texto de Dt 6. 4 -9, 11. 13 -21.

II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 “ O maior temor de II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 “ O maior temor de Jeroboão era que em qualquer tempo no futuro o coração de seus súditos se deixasse cativar pelo ocupante do trono de Davi. Raciocinou ele que se às dez tribos fosse permitido visitar com frequência a antiga sede da realeza judaica, onde os cultos do templo eram ainda dirigidos como nos anos do reinado de Salomão, muitos poderiam sentir-se inclinados a renovar sua submissão ao governo centralizado em Jerusalém. ” E. G. White, Patriarcas e Profetas, 99

II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 v. Jeroboão se considerava um II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 v. Jeroboão se considerava um inovador espiritual sem compromisso com as regras de adoração que Deus havia transmitido a Israel (Êx 25 -31)

II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 Vs 28: Dois bezerros de II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 Vs 28: Dois bezerros de ouro. Uma Imitação: Suporte visível do Trono invisível de Deus – Dois querubins que estavam sobre a arca da Aliança.

II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 Vs 28: A figura do II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 Vs 28: A figura do touro ou bezerro era, no Antigo Oriente Médio, símbolo de força e fecundidade.

II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 Vs 28: O povo podia II. Saber e fazer: I RS 12. 25 -33 Vs 28: O povo podia confundir os bezerros de ouro com representações de Javé, o Deus de Israel. (Sincretismo)

Adoração na vida: Ml 3. 18; Is 14. 13; Mt 4. Adoração na vida: Ml 3. 18; Is 14. 13; Mt 4.

Adoração na vida – Ml 3: 18 a. Toda a humanidade se encontra no Adoração na vida – Ml 3: 18 a. Toda a humanidade se encontra no conflito entre Deus e Satanás; b. Deus conhece aqueles que O adoram de verdade; c. No final: Justos: tornar-se-ão cada vez mais fortes (glorificados) e os perversos perecerão.

Adoração na vida – Is 14. 13 a. A “estrela da manhã” – Lúcifer. Adoração na vida – Is 14. 13 a. A “estrela da manhã” – Lúcifer. Astro: na cultura dos cananeus consideravam um deus que desejava colocar-se acima dos demais deuses. Esta figura, o profeta ridiculariza o orgulho e arrogância de Lúcifer, insinuando que também ele deverá cair como aquele deus pagão.

Adoração na vida – Mt 4 a. Três vezes Jesus responde com citações de Adoração na vida – Mt 4 a. Três vezes Jesus responde com citações de Deuteronômio. Dt 8. 3, 6. 16 e 6. 13; b. Destaque no conhecimento e obediência de Jesus Cristo; c. Não existe separação entre viver e adorar a Deus. (sem concessões)

Adoração na vida – Mt 4 d. Como IASD temos o dever de respondermos Adoração na vida – Mt 4 d. Como IASD temos o dever de respondermos ao apelo de Elias no monte Carmelo: “Até quando coxeareis entre dois pensamentos? . . . ” I Rs 18. 21

Conclusão: Conformidade e compromisso com o mundo muitas vezes levam à crise. Devemos compreender Conclusão: Conformidade e compromisso com o mundo muitas vezes levam à crise. Devemos compreender e examinar a tendência humana de se afastar das ordens de Deus e buscar a maneira correta de corrigir o problema. O que precisamos é de um “REAVIVAMENTO E REVORMA”.